terça-feira, 29 de dezembro de 2020

os grupos pequenos e o sacerdócio dos cristãos



Quando passei a morar na cidade de Nova York, estava a responder ao chamado de Deus para pastorear a Primeira Igreja Batista Hispânica de Manhatan. Quando comecei a servir aqui, encontrei vários desafios. Quando olhei para os mais de 30 imponentes edifícios em frente ao templo, pensei comigo mesmo: “Como vamos penetrar nessas torres enormes?” Considerando também a distância entre a moradia dos membros e seus locais de trabalho, me perguntei: “Como vou servir aos meus irmãos e irmãs em tão diferentes circunstâncias?”

Deus deu a resposta às minhas preocupações por meio da plantação de pequenos grupos. Os membros estavam aptos a testemunhar à sua vizinhança nos grandes prédios, bem como edificar espiritualmente um ao outro por meio da participação dos pequenos grupos. Essa foi uma das maiores bênçãos que recebemos.

Durante a semana, os participantes eram ministrados em suas casas ou sua vizinhança. Nova York é uma cidade grande, e nosso povo vive a uma distância considerável do templo, por isso é muito difícil eles virem à ao culto na igreja durante a semana. No entanto, se há um pequeno grupo perto de suas casas, eles podem se encontrar com outros cristãos, orar, ler a Bíblia e estar em comunhão uns com os outros.

Além disso, por meio dos pequenos grupos, os cristãos tornam-se conscientes das necessidades que poderiam facilmente passar despercebidas em outras situações. Eles podem ministrar uns aos outros. Por exemplo, recentemente, um dos nossos anfitriões precisava ir a uma consulta médica, mas não tinha uma boleia. O líder, sabendo de sua situação, acertou em levá-la, esperar por ela e, em seguida, levá-la de volta para casa. Este é apenas um exemplo, mas há muitos mais. Muitas vezes, casais com problemas conjugais são ajudados por conselhos de um outro casal que aprendeu sobre essa necessidade em uma célula. Novos convertidos são orientados por meio da ajuda dos mais maduros.

Agora, a tarefa do cuidado espiritual da igreja não está mais nas mãos de um homem, mas uma abordagem cooperativa que facilita a missão. Afinal, não é este o modelo do Novo Testamento?

A Bíblia diz em Efésios 4.15-16: “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” Na igreja em pequenos grupos, isso é possível.

Por Freedy Noble

Sem comentários:

Publicar um comentário