segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

uma perspectiva sobre o aborto (3)



 ... continuação...

3 - A Bíblia reconhece que Deus tem planos para a criança por nascer. Só Ele sabe o potencial dessa nova vida.

Quando Deus chamou Jeremias para o seu ministério profético, Ele indicou que a sua consagração era pré-natal, ao dizer: "Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre te santifiquei: às nações te dei por profeta" (Jeremias 1:5).

Quando Zacarias, o sacerdote, estava ministrando no altar do incenso, um anjo anunciou que a sua esposa, Isabel, daria à luz um filho que seria chamado João. Ele iria ser um mensageiro de Jesus (Lucas 1:11-17).

Destruir a vida de uma criança por nascer, é menosprezar flagrantemente os planos que Deus tem para essa vida. Rouba à pessoa que está para nascer privilégio de escolher ser um instrumento dos desígnios de Deus.

4 - A Bíblia reconhece que Deus é soberano em todas as coisas, incluindo a qualidade de vida da pessoa por nascer.

Quando as pessoas rejeitam a Deus, eventualmente tornam a vida humana relativa. Alguns são considerados dignos de viver, outros são considerados dispensáveis.

Um estudo feito pelo Dr. Leo Alexander da Universidade de Harvard, psiquiatra nos julgamentos dos criminosos da guerra nazi, mostrou que os princípios do holocausto foram encontrados na criança de que certas vidas humanas não mereciam existir.

Como resultado dessa crença, mataram os indesejados, os aleijados, os mutilados, os retardados, e finalmente os veteranos inválidos que serviram na Alemanha na 1.ª Guerra Mundial. Daí até ao holocausto foi apenas um pequeno passo.

Quando as pessoas se levantam como se fossem Deus para determinar se alguém merece viver - quer antes ou depois do nascimento - estão a rejeitar a soberania do Criador de todas as coisas.

Existem coisas que os humanos finitos não podem perceber. Os caminhos de Deus estão acima dos caminhos do Homem. Enquanto hoje a tecnologia médica faz com que seja possível saber que, por vezes, existem condições menos desejáveis numa criança por nascer, é importante lembrar que ainda assim, são criação de Deus.

Quando Moisés se queixou da sua falta de eloquência, Deus disse: "Quem fez a boca do homem? ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o Senhor?" (Êxodo 4:11).

Quando o Homem estabelece o critério daqueles que são ou não dignos de viver, ele erra invariavelmente, porque falha em reconhecer o plano e o propósito de Deus. Quem, senão Deus, pode saber se alguém destruído no holocausto poderia ter descoberto a cura para o cancro? Quem, senão Deus, pode saber a bênção que milhões de crianças mortas antes do nascimento, poderiam trazer para melhorar a qualidade da vida?

Durante uma palestra impressionante perante a Câmara dos Representantes, foi incluída a seguinte citação de uma pessoa que nasceu em resultado de uma violação: "Algumas pessoas renegam o seu habitat natural. Eu cito sempre a minha origem. Não é para mim um obstáculo, como não o é a minha cor. Nasci na pobreza. O meu pai violou a minha mãe quando ela tinha 12 anos. Agora deram o meu nome a um parque em Chester, Pennsylvania."

A citação era de Ethel Waters, que ministrou a milhões, por meio do evangelho cantado. Se nessa altura o aborto fosse legal, é bem possível que alguém o tivesse sugerido. Se isso tivesse acontecido, o mundo teria ficado muito mais pobre. O trabalho do evangelismo teria sido privado de uma grande cantora evangélica.

... continua...

"Uma perspectiva Bíblica sobre o Aborto" - Este texto traduz a posição oficial das Assembleias de Deus dos Estados Unidos da América e foi elaborado por uma Comissão Doutrinária em 6 de agosto de 1985

Traduzido e publicado em Portugal pelo Departamento do Desenvolvimento de Literatura do Instituto Bíblico Monte Esperança, Fanhões

Sem comentários:

Publicar um comentário