sábado, 12 de dezembro de 2020

uma perspectiva sobre o aborto (2)


 ... continuação...

O que a Bíblia diz sobre a criança por nascer?

Enquanto alguns têm tentado justificar o aborto antes da criança poder sustentar a vida fora do ventre, a Bíblia não faz uma tal distinção no processo da vida. O termo "veto viável" pode indicar devidamente, como facto científico, o tempo em que a vida pode ser sustentada fora do ventre; mas não indica que a vida como pessoa, falha em existir antes disso.

Aqueles que podem ser tentados a aceitar o aborto numa fase inicial só porque é declarado legal, ser-lhe-ia útil considerar algumas verdades bíblicas:

1 - A Bíblia reconhece que uma mulher "tem um filho", mesmo nas primeiras fases da gravidez.

Quando a virgem Maria foi escolhida para ser a mãe de Jesus, foi-lhe feito este anúncio: "E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho" (Lucas 1:31). E então o anjo informou a Maria que a sua prima Isabel estava grávida. As palavras usadas foram: "Ela também concebeu um filho na sua velhice" (Lucas 1:36). A Bíblia deixa bem claro que na fase pré-natal João, o baptista, foi reconhecido como "um filho", muito embora faltassem três meses para o parto.

Em Lucas 1:41,44, antes do nascimento, João é reconhecido como um "bebé". Isto traduz uma palavra grega usada para as crianças antes e depois do nascimento (Actos 7:19). As palavras "ela também concebeu um filho" indicam que Jesus foi reconhecido como um filho, embora a gravidez de Maria estivesse na primeira fase.

A Bíblia reconhece sempre a fase pré-natal como a de uma criança, e não como de um produto de concepção sem sentido. Não é feita nenhuma distinção entre o valor da vida de uma criança já nascida e de uma por nascer.

Nos tempos bíblicos, mesmo quando havia uma gravidez devido a um relacionamento ilícito, a qualidade dessa vida não era questionada. As filhas de Loth engravidaram por incesto (Génesis 19:36), mas isso não foi considerado condição que exigisse um aborto. Beth-Seba reconheceu ter engravidado por adultério (II Samuel 11:5), mas isso não foi visto como se ela estivesse a carregar um mero apêndice de matéria que devesse ser removido do ventre.

João Calvino fez uma observação muito significativa concernente ao aborto, num comentário sobre Êxodo 21:22,23: "O feto, embora fechado no ventre de sua mãe, já é um ser humano, e é um crime monstruoso roubar-lhe a vida que ainda não começou a gozar. Se parece mais horrível matar um homem na sua própria casa do que no campo, porque a casa de um homem é o seu lugar de maior refúgio, deveria certamente ser considerado mais atroz destruir um feto no ventre antes de ter vindo à luz."

2 - A Bíblia reconhece que Deus está activo no processo criativo de formar nova vida. Abortar uma gravidez, é abortar a obra que Deus está a fazer.

Concernente a Leia, a esposa de Jacob, a Bíblia diz: "quando o Senhor viu que Leia estava aborrecida, Ele abriu o seu ventre... Assim Leia concebeu e deu à luz um filho" (Génesis 29:31,34).

Quando Job se comparou aos seus servos, perguntou: "aquele que me formou no ventre, não os fez também a eles? Ou não nos formou do mesmo modo no ventre?" (Job 31:15).

Ao indicar a imparcialidade de Deus, Job disse: "Ele não faz acepção de príncipes, nem estima o rico mais do que o pobre; porque todos são obra das Suas mãos" (Job 34:19).

Isaías, falando por Deus, disse: "Assim, diz o Senhor que te criou e te formou desde o ventre, e que te ajudará: Não temas ó Jacob, servo Meu. Assim diz o Senhor, o teu Redentor, e que te formou desde o ventre: Eu sou o Senhor que faço todas as coisas" (Isaías 44:2,24).

David resumiu bem tudo isto quando escreveu: "Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia." (Salmo 139:13-16).

Com respeito ao Salmo 139:13-16, Donald Shoemaker escreveu: "Esta passagem só pode suscitar a santa cautela e respeito pela vida por nascer. Deus está a trabalhar, e à medida que observamos, devemos adorar, porque o lugar em que estamos é terra santa. Tal respeito pela origem divina da vida não se encontra nos aborcionistas. Neles há apenas uma intrusão profana no laboratório divino para interromper e destruir a criação do bendito Criador! Deus ama a criança por nascer! Este salmo nunca nos deixará esquecer isso!"

O Deus omnisciente que sabe o que acontece às pessoas depois do seu nascimento, também sabe o que acontece a essas pessoas antes do nascimento. Ele está criativamente activo no processo do nascimento, e terminar uma gravidez é destruir a obra de Deus. Aborto é uma provocação maligna do Homem ao Deus Todo-Poderoso. É um indicativo do ponto a que tem caído uma sociedade permissiva.

... continua...

-------------

"Uma perspectiva Bíblica sobre o Aborto" - Este texto traduz a posição oficial das Assembleias de Deus dos Estados Unidos da América e foi elaborado por uma Comissão Doutrinária em 6 de agosto de 1985

Traduzido e publicado em Portugal pelo Departamento do Desenvolvimento de Literatura do Instituto Bíblico Monte Esperança, Fanhões

Sem comentários:

Publicar um comentário