quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

Desafios de liderança - 6 coisas que os líderes odeiam fazer, mas precisam fazer de qualquer maneira (PT / EN)


“Come os teus vegetais, eles são bons para ti.” Minha mãe disse essas palavras para mim inúmeras vezes quando era criança. Mas eu não me importava com o quão bons os vegetais eram para mim, eu não gostava deles, e couve de Bruxelas era o pior!

Todos os líderes enfrentam tarefas, verdades e responsabilidades do tipo “couve de Bruxelas”. Sabes que eles são bons para ti e precisam ser cumpridos, mas não queres do mesmo jeito.

Meu conselho. Come os teus “vegetais de liderança” de qualquer maneira. Os benefícios são óbvios.

A seguir estão seis das coisas mais comuns que os líderes odeiam fazer, mas os líderes inteligentes as fazem mesmo assim.

6 coisas que os líderes odeiam fazer:

1) Sê honesto sobre as tuas limitações.

Eu posso fazer todas as coisas em Cristo. Certo?! Bem, sim, mas ainda não consigo enterrar uma bola de basquetebol. Os líderes precisam conhecer e aceitar as suas limitações.

Aceitar suas limitações não é o mesmo que desistir, decidir não trabalhar muito ou continuar a crescer como líder.

Eu toco viola, mas não importa o que eu faça, nunca vou tocar como Jimmy Hendricks, Eric Clapton ou Carlos Santana. Da mesma forma, nunca vou pregar como Andy Stanley, Matt Chandler ou Louie Giglio. Pode ser difícil admitir isso, mas quanto mais cedo fizeres isso, mais cedo poderás ser liberto para te tornares tudo o que Deus planeou para ti.

Então e tu? Quais são os teus maiores pontos fortes como líder? Conheces as tuas limitações? Do teu nível de energia às tuas habilidades e aptidões únicas, como Deus preparou-te para ter sucesso?

2) Permitires que Deus determine a definição de sucesso no crescimento da igreja.

Eu adoraria ser capaz de decidir o quão grande se tornará a igreja que eu sirvo. Mas Deus não permite isso.

O Novo Testamento deixa claro que a igreja deve crescer, mas não há nenhuma indicação de que vamos determinar o tamanho. Acho que Deus nos conhece muito bem para permitir isso.

No entanto, nós nos esforçamos e ficamos frustrados se a nossa igreja não cresce tão rápido quanto a igreja superstar em toda a cidade. Não entendas mal, esta não é uma plataforma para desculpas ou sugerir que a falta de progresso está OK.

Mas Deus não estabelece os padrões do Seu Reino com base em quantos estão sentados nos bancos. Na verdade, todos nós somos sábios em fazer o nosso melhor para ensinar e liderar de acordo com nosso melhor entendimento de como Deus define o sucesso.

3) Foco na execução tanto quanto nas ideias.

As ideias são divertidas! Cultivar ideias como títulos para um artigo de blog é uma explosão, mas, na verdade, escrever o artigo, bem, isso é mais como um trabalho.

Não estou a sugerir que gerar boas ideias seja fácil, mas uma ideia que o Espírito Santo pode te dar em um momento pode levar mil horas para ser concluída.

Na verdade, uma ideia “B” que é concluída é melhor do que uma ideia “A” que nunca é concluída.

Aprender a desenvolver boas ideias e conectá-las a uma execução igualmente notável é essencial, mas é surpreendente a frequência com que isso falha na igreja local.

Acho que é natural gostarmos da visão, da ideia e do que há de mais novo e brilhante. Como o lançamento de um novo campus (campo missionário) ou o início de uma nova série de sermões. Mas quando os balões desbotam, há muito trabalho a ser feito.

Os melhores líderes têm uma intenção implacável de execução.

4) Lança a visão além da tua capacidade, mas não além da tua fé.

Transmitir a visão ou aceitar a visão quando ela está além da tua capacidade é um risco. O fracasso é possível. Isso é liderança. Se o fracasso não for possível, é improvável que estejas a entrar num novo território.

É necessária confiança para seguir em frente, mas o futuro ainda é incerto. Ao mesmo tempo, porém, nunca deves liderar além da tua fé.

Não é negociável que acredites que Deus pode entregar a visão para a qual tu estás a conduzir.

Isso requer que acredites em duas coisas. Primeiro, que Deus é o autor da tua visão. Em segundo lugar, que Deus está contigo e para ti.

É relativamente fácil acreditar nessas duas coisas em teu estudo ou sala de oração, mas o risco se torna real quando vais a público. Líderes sábios não vão a público sem saber que Deus é o autor de sua visão.

5) Diminui a velocidade.

A maioria de nós odeia a ideia de ir devagar, mas nenhuma das coisas mais importantes e significativas sobre a igreja local pode ser apressada.

Nossas responsabilidades podem nos fazer sentir pressionados e apressados, mas aqueles que lideramos e servimos não querem sentir isso de nós.

A igreja é totalmente relacional. O primeiro relacionamento é com Deus e o segundo relacionamento é com todos aqueles a quem serves. (Começando com a tua própria família.)

É preciso uma habilidade altamente desenvolvida para cumprir as tuas responsabilidades, e ainda assim fazê-lo com equilíbrio, positividade, generosidade e uma presença não ansiosa.

Na verdade, se tudo o que fazes parece apressado ou de última hora, é provável que estejas a enfrentar stress desnecessário e problemas possivelmente desnecessários.

As coisas mais importantes na liderança requerem um tempo substancial e sem pressa.

Coisas como: oração, desenvolvimento de liderança, tempo para estudar e pensar, ouvir, amar, escrever uma lição, discernimento, etc.

6) Presta atenção aos detalhes correctos.

Vou contar-te um facto surpreendente. Os melhores líderes que conheço são muito detalhistas em pelo menos uma área específica. Eles geralmente não gostam, mas fazem mesmo assim.

Eles não são perfeccionistas exigentes ou líderes enfraquecedores, mas prestam muita atenção a detalhes específicos.

Por exemplo, alguns pastores séniores (principais / líderes) conhecem os detalhes financeiros de trás para a frente. Alguns pastores séniores preocupam-se e estão envolvidos em cada minuto da programação nas manhãs de domingo. (Este ponto não se limita aos pastores seniores!)

O princípio fundamental não é estar focado em todos os detalhes, mas estar focado nos detalhes certos no momento certo. E, além disso, ter a capacidade de saber quando deixar outra pessoa cuidar do resto.

Os melhores líderes, sejas tu o pastor titular ou novo na equipa, sabem quais detalhes são importantes e prestam muita atenção.

A quais detalhes tu estás a prestar atenção?


----


“Eat your vegetables, they’re good for you.” My mom said those words to me countless times as a kid. But I didn’t care how good vegetables were for me, I didn’t like them, and brussels sprouts were the worst!

Mom was right. Veggies are good for me, and I should have eaten more. The nutritional benefits would have been fantastic.

All leaders face “brussels sprouts” kinds of tasks, truths and responsibilities. You know they’re good for you, and need to be adhered to, but you don’t want to just the same.

My advice. Eat your “leadership veggies” anyway. The benefits are obvious.

The following are six of the most common things leaders hate to do, but smart leaders do them anyway.

6 Things Leaders Hate to Do:

1) Get honest about your limitations.

I can do all things in Christ. Right?! Well, yes, but I still can’t slam dunk a basketball. Leaders have to know and embrace their limitations.

Embracing your limitations is not the same as giving up, deciding not to work hard or continuing to grow as a leader.

I play the guitar, but no matter what I do, I’ll never play like Jimmy Hendricks, Eric Clapton or Carlos Santana. In the same way, I’ll never preach like Andy Stanley, Matt Chandler or Louie Giglio. It can be tough to own that, but the sooner you do, the sooner you can be set free to become all that God has intended for you.

So, how about you? What are your greatest strengths as a leader? Do you know your limitations? From your energy level to your unique skills and abilities, how has God wired you to succeed?

2) Allow God to determine the definition of church growth success.

I would love to be able to decide how large the church I serve becomes. But God doesn’t allow that.

The New Testament makes it clear that the church is intended to grow, but there is no indication that we get to determine the size. I think God knows us too well to allow that.

Yet, we strive and get frustrated if our church doesn’t grow as fast as the superstar church across town. Don’t misunderstand, this isn’t a platform for excuses, or suggesting that lack of progress is OK.

But God doesn’t set His Kingdom standards based on how many are sitting in the pews, in fact, we are all wise to do our best to teach and lead according to our best understanding of how God defines success.

Success for your church is best determined by seeking God through prayer, and aligning yourself and your work to His vision for your church. Then stay focused right there. That’s my prayer for us at 12Stone.

3) Focus on execution as much as ideas.

Ideas are fun! Cultivating ideas like titles for a blog post is a blast, but actually writing the post, well, that’s more like work.

I’m not suggesting that generating good ideas is easy, but an idea that the Holy Spirit can give you in a moment can take a thousand hours to see it to completion.

In fact, a “B” idea that gets completed is better than an “A” idea that never gets done.

Learning to develop good ideas and connecting that to equally outstanding execution is essential, but it’s surprising how often that fails in the local church.

I think it’s natural for us to like the vision, the idea, and what’s new and shiny best. Like launching a new campus, or the start of a new sermon series. But when the balloons have faded there is much work to do.

The best leaders are ruthlessly intent on execution.

4) Cast vision beyond your ability, but not beyond your faith.

Casting vision, or signing on to the vision when it’s beyond your ability, is a risk. Failure is possible. That’s leadership. If failure isn’t possible, it’s unlikely that you’re leading into new territory.

Confidence is required to press forward, but the future is still uncertain. At the same time, however, you should never lead beyond your faith.

It’s non-negotiable that you believe God can deliver the vision you are leading to.

That requires that you believe two things. First that God is the author of your vision. Second, that God is with you and for you.

These two things are relatively easy to believe in your study or prayer room, but the risk becomes real when you go public. Wise leaders don’t go public without knowing God is the author of their vision.

5) Slow down.

Most of us hate the idea of going slow, and yet none of the most important and meaningful things about the local church can be rushed.

Our responsibilities may cause us to feel pushed and rushed, but those we lead and serve don’t want to feel that from us.

The church is entirely relational. The first relationship is with God and the second relationship is with all those you serve. (Starting with your own family.)

It takes highly developed skill to accomplish your responsibilities, and yet do so with poise, positivity, generosity and a non-anxious presence.

In fact, if everything you do seems rushed or last minute, you are likely experiencing unnecessary stress and possibly unnecessary problems.

The most important things in leadership require substantial and unhurried time.

Things like: prayer, leadership development, study and think time, listening, love, writing a lesson, discernment, etc.

6) Pay attention to the right details.

I’ll let you in on a surprising fact. The best leaders I know are very detail oriented in at least one specific area. They usually don’t like it, but do it anyway.

They are not picky perfectionists or disempowering leaders, but they pay very close attention to specific details.

For example, some senior pastors know the financial details backward and forward. Some senior pastors care about and are involved in every minute of programming on a Sunday morning. (This point is not limited to senior pastors!)

The key principle is not about being focused on all the details, but being focused on the right details at the right time. And further, having the ability to know when to let someone else handle the rest.

The best leaders, whether you are the senior pastor or new to the team, know what details are important and they pay very close attention.

What details are you paying close attention to?

This article originally appeared here.


Sem comentários:

Publicar um comentário